Qual é o melhor antialérgico que existe?

Produtos Farmacêuticos

Qual é o melhor antialérgico que existe?

julho 24, 2023
Junte-se a mais de 100 mil pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos, presentes, brindes exclusivos com prioridade

A busca pelo melhor antialérgico é uma dúvida comum entre as pessoas que sofrem com alergias sazonais, rinite, urticária e outras manifestações alérgicas. A escolha do antialérgico adequado pode fazer a diferença na qualidade de vida do paciente, proporcionando alívio dos sintomas e bem-estar. Neste artigo, vamos abordar os principais tipos de antialérgicos disponíveis no mercado, seus mecanismos de ação e qual o mais indicado para cada tipo de alergia.

Antialérgicos: como funcionam?

Os antialérgicos, também conhecidos como anti-histamínicos, são medicamentos que atuam bloqueando a ação da histamina, uma substância liberada pelo sistema imunológico em resposta a uma substância estranha, como pólen, poeira, pelos de animais, entre outros. A histamina é responsável pelos sintomas alérgicos, como coceira, espirros, coriza, inchaço e vermelhidão na pele.

Os antialérgicos podem ser classificados em dois grupos:


Antialérgicos de primeira geração

Os antialérgicos de primeira geração são mais antigos e costumam causar sonolência devido à sua capacidade de atravessar a barreira hematoencefálica e afetar o sistema nervoso central. Alguns exemplos de antialérgicos de primeira geração incluem a difenidramina, a clorfeniramina e a hidroxizina. Embora ainda sejam utilizados, esses medicamentos têm sido substituídos por antialérgicos de segunda geração devido aos efeitos colaterais indesejados.

Antialérgicos de segunda geração

Os antialérgicos de segunda geração foram desenvolvidos para proporcionar alívio dos sintomas alérgicos sem causar sonolência significativa. Esses medicamentos têm uma estrutura química que dificulta a passagem pela barreira hematoencefálica, tornando-os mais seguros para o uso diário. Além disso, possuem uma ação mais prolongada, permitindo que sejam administrados uma vez ao dia. Exemplos de antialérgicos de segunda geração incluem a loratadina, a cetirizina e a desloratadina.

Qual é o melhor antialérgico para cada caso?

A escolha do melhor antialérgico depende do tipo e gravidade dos sintomas alérgicos, bem como das características individuais de cada paciente. Abaixo, listamos algumas situações em que determinados antialérgicos podem ser mais indicados:

.

Loratadina

A loratadina é uma opção comumente utilizada para tratar alergias sazonais, como a rinite alérgica. Ela proporciona alívio dos sintomas sem causar sonolência, o que a torna ideal para o uso diário.

Cetirizina

A cetirizina é eficaz no alívio dos sintomas alérgicos, incluindo coceira e espirros. Assim como a loratadina, é uma opção de segunda geração que não causa sonolência em grande parte dos pacientes.

Desloratadina

A desloratadina é uma forma ativa da loratadina e possui ação prolongada, o que significa que pode ser administrada uma vez ao dia. É indicada para o tratamento de rinite alérgica e urticária.

Fexofenadina

A fexofenadina é outro antialérgico de segunda geração, conhecido por sua rápida atuação e longa duração. É indicada para aliviar os sintomas da rinite alérgica, conjuntivite alérgica e urticária.

Quando não devo usar antialérgicos?

Embora os antialérgicos sejam medicamentos seguros e amplamente utilizados, existem situações em que seu uso pode não ser recomendado. Alguns casos em que não se deve usar antialérgicos incluem:

Gravidez e amamentação

Mulheres grávidas ou em período de amamentação devem evitar o uso de antialérgicos sem a orientação de um médico. Algumas substâncias podem atravessar a placenta ou ser transmitidas pelo leite materno, podendo afetar o bebê.

Intolerância ou alergia aos componentes do medicamento

Pessoas que apresentam histórico de intolerância ou alergia a algum componente do antialérgico devem evitar seu uso e buscar alternativas com o auxílio de um profissional de saúde.

Uso concomitante com outras medicações

É importante informar o médico sobre todos os medicamentos que está tomando, incluindo os de venda livre, suplementos e fitoterápicos. Alguns medicamentos podem interagir com os antialérgicos, reduzindo sua eficácia ou aumentando o risco de efeitos colaterais.

Conclusão

A escolha do melhor antialérgico deve ser feita com base nas características individuais de cada paciente e nos sintomas apresentados. Os antialérgicos de segunda geração, como loratadina, cetirizina, desloratadina e fexofenadina, são amplamente utilizados e costumam proporcionar alívio dos sintomas alérgicos sem causar sonolência significativa.

Contudo, é fundamental ressaltar que a automedicação não é recomendada. Antes de iniciar o uso de qualquer medicamento, é importante buscar a orientação de um médico ou profissional de saúde qualificado. O profissional irá avaliar o quadro clínico do paciente e indicar o antialérgico mais adequado para cada caso.

Cursos da Sagifit sobre Saúde e Bem-estar

Gostaria de aprender mais sobre saúde e bem-estar? Conheça os cursos da Sagifit! Temos uma variedade de cursos que abordam temas como nutrição, exercícios físicos, gestão do estresse e muito mais. Acesse agora mesmo nosso site: https://sagifit.com.br/cursos.

Aviso Legal

Este artigo tem caráter informativo e não substitui a consulta médica profissional. As informações aqui apresentadas não configuram prescrição ou indicação de medicamentos. Para obter orientação sobre tratamentos adequados para alergias ou outras condições de saúde, é fundamental buscar a avaliação de um médico ou profissional de saúde qualificado. O uso inadequado de medicamentos pode acarretar riscos à saúde, portanto, siga sempre as orientações médicas.